quinta-feira, 29 de outubro de 2015

TENDÊNCIA: ESPÍRITO MOD


Tudo começou nos finais da década de 1950 e desde então o espírito Mod tem estado sempre presente seja na cultura, na música, nas artes ou na moda. Esta estação é uma das tendências que dá vida ao guarda-roupa do outono e do inverno.
Foi como forma de protesto ao conservadorismo vigente e à exuberância dos anos pós-guerra que os jovens ingleses começaram a manifestar-se através das suas escolhas. O jazz moderno, o existencialismo, as Vespas como meio de transporte, os cabelos simples em vez dos penteados elaborados e, claro, o vestuário em oposição total ao estilo dos anos 1950 e introduzindo-se o conceito unissexo.

Embora haja quem adote o estilo Mod em versão integral desafiando as leis do tempo (e da moda!), a proposta dos criadores vai no sentido de integrar os elementos-chave deste estilo no seu guarda-roupa do dia a dia, conjugando com peças de outros estilos de acordo com o seu gosto pessoal.

A minissaia.
Este é o elemento-chave por excelência do espírito moderno, cortando com tabus e convenções sociais existentes na época. Criada por Mary Quant, a minissaia apareceu, conquistou e venceu, sendo usada até hoje e simbolizando a mulher moderna, trabalhadora e social e politicamente ativa. Do estilo Mod é a forma em linha A.

Os padrões geométricos e as cores fortes em bloco.
As formas geométricas passam para os tecidos em riscas, ziguezagues, bolas, retângulos e quadrados. Alguns dos padrões chegam a ser psicadélicos. Tenha sempre em atenção a sua silhueta antes de comprar qualquer peça, pois os padrões geométricos criam ilusões de óptica que tanto podem emagrecer como engordar, encurtar ou alongar o corpo.
Nas cores predomina o uso de contrastes entre cores como o preto e o branco, o vermelho e o rosa, o laranja e amarelo ou o ocre.


Os vestidos em linha A.
Se em plena era Mod eram um must, hoje também o são. Sempre de comprimento curto e de linha A, usam-se sozinhos ou com camisas e malhas de gola alta. A silhueta simples da linha A ganha vida com padrões geométricos e psicadélicos e com os tecidos em pele e sintéticos.

O calçado robusto, saltos largos.
Sejam botas, botins ou sapatos de salto ou rasos, os saltos querem-se largos. As botas de cano alto que ultrapassam o joelho combinam-se com as minissaias. Nos materiais a escolha vai para os sintéticos  e as camurças.

Os acessórios inspirados na arte.
Mais uma vez, a geometria predomina em carteiras, óculos e lenços, seja na forma, na cor ou no padrão. Os óculos querem-se grandes, desde as maçãs do rosto até bem acima das sobrancelhas. As carteiras são geométricas.

A maquilhagem "Twiggy".
Os olhos são o grande foco, sempre delineados com risco preto e usando-se as pestanas postiças. No rosto, o despojamento com os tons nude no blush e nos lábios, quase numa ausência de cor.


Sombra Ombre Minérale Fard à Paupières no tom nude 02. Blush Prodige tom 01 lovely rose.  3-Dot Liner e Be Long Mascara, tudo Clarins.


Imagens ©Direitos reservados



SHARE:

Sem comentários

Enviar um comentário

© CLARINS Blog. Todos os direitos reservados.
Designer Blogger Template by pipdig